Museu Virtual - Tronco, Ramos e Raízes

A Boa Vista no tempo

Casa de IMBEM

Ruínas da casa de Imbém por volta de 1945 – fotógrafo desconhecido

Autor: Autor Desconhecido (ACERVO CIRS)

1945

Baixar

Zé de Paulina na frente, Zé vieira, atras. Emiliano, João e Zé de Bil

Zé de Paulina na frente, Zé vieira, atras. Emiliano, João e Zé de Bil

Autor: Badoglio Araújo

1976

Baixar

A casa de Imbém (Avô de D. Chica)

A casa de Imbém (Avô de D. Chica)

Autor: Desconhecido

Desconhecida

Baixar

A professora Francisca Benvinda do Amaral e os alunos

A professora Francisca Benvinda do Amaral e os alunos Bibiano, Raimundo, Augusto, Manoel Miguel, José, Zé Miciano, João, Emiliano, Zé vieira, Vitória, Maria Julia, Antonia Maria, Maria Grande, Geralda, Santina, Geraldina. Não foi possivel identificar os demais (21/11/1957)

Autor: Desconhecido

21/11/1957

Baixar

Casa do rosário (Jardim do Seridó)

Casa do rosário (Jardim do Seridó), Elza, Zé de Bil, Espedito, Manoel Miguel, Zé vitorino, Zé vieira- 1986 . fotografo desconhecido.

Autor: Desconhecido

Desconhecida

Baixar

Negros do rosario no Síto Cachoeira (Parelhas). Mauro Medeiros (prefeito de Parelhas)

Negros do rosario no Síto Cachoeira (Parelhas). Mauro Medeiros (prefeito de Parelhas), Manoel de Teodózio, Garrote, Manoel Miguel, Inácio Timbu, Moaci, Zé Miciano, Bibiano, Pedro de Julia, Ademar, Zé de bil. As crianças Pedro, Geraldo, Miguel, Adriano, José, Almir - 1975 (fotografia de Badoglio Araújo)

Autor: Desconhecido

Desconhecida

Baixar

A comunidade reunida no salão

A comunidade reunida no salão - 1979 (fotógrafo desconhecido)

Autor: Desconhecido

1979

Baixar

O Incra e os desafios para a regularização dos territórios quilombolas

Aniceto Cantanhede Filho, Andrea Flávia Tenório Carneiro, Caroline Ayala, Celeste Ciccarone, Dalívia Bento Bulhões, Flávio Luís Assiz dos Santos, Francieli Marinato, Gilca Garcia de Oliveira, Guiomar Inez Germani, Ieda Cristina Alves Ramos, José Rui Cancian Tagliapietra, Julie Cavignac, Leandro Mitidieri, Luciana Job, Mariza Rios, Osvaldo Martins de Oliveira, Renata Bortoletto Silva, Sandro José da Silva, Sebastião Henrique Santos Lima, Simone Raquel Batista Ferreira, Sue Nichols, Tércio Fehlauer

Autor: Vários Autores

2006

Baixar

A professora Francisca Benvinda do Amaral e os alunos

A professora Francisca Benvinda do Amaral e os alunos Bibiano, Raimundo, Augusto, Manoel Miguel, José, Zé Miciano, João, Emiliano, Zé vieira, Vitória, Maria Julia, Antonia Maria, Maria Grande, Geralda, Santina, Geraldina. Não foi possivel identificar os demais (21/11/1957)

Autor: Desconhecido

21/11/1957

Baixar

Exposição sobre história da Boa Vista

Apresenta as atividades desenvolvidas para o dia da Consciência negra.

Autor: Wanderley Filho

2012

Baixar

OS “TRONCOS VELHOS” E OS “QUILOMBINHOS”: MEMÓRIA GENEALÓGICA, TERRITÓRIO E AFIRMAÇÃO ÉTNICA EM BOA VISTA DOS NEGROS (RN)

Durante a pesquisa visando à elaboração do relatório antropológico de Boa Vista dos Negros, comunidade quilombola do Seridó (RN), verificamos que o grupo conserva uma longa memória genealógica e que, apesar das mudanças ocorridas na organização econômica e social do grupo, as principais formas de solidariedade foram mantidas. Queremos, aqui, refletir sobre a importância da noção de família, a transmissão dos nomes e da memória genealógica na definição do território quilombola. Na ocasião, serão analisados como os elementos da cultura tradicional são ressignificados ao longo do processo de afirmação étnica.

Autor: JULIE A. CAVIGNAC

09/2008

Baixar

As voltas da história: terra, memória e educação patrimonial na boa vista dos negros

Os africanos tiveram um papel central no desenvolvimento econômico, social e cultural do Nordeste brasileiro: como escravos, participaram ativamente da ocupação do território e dos processos produtivos (cana de açúcar, gado e algodão), teceram solidariedades em torno das irmandades, se organizaram em comunidades quilombolas, perpetuaram histórias, práticas e saberes. No entanto, a historiografia oficial invisibilizou essa presença e menosprezou a importância da mão de obra negra, especialmente pouco se sabe sobre os libertos muito antes da Abolição. Apresentamos alguns elementos que indicam a existência de outra história e de processos constitutivos de uma amnésia generalizada quando se fala do “tempo do cativeiro”. A memória e a tradição cultural auxiliam no exercício da evocação do passado, mostram os caminhos percorridos para recuperar uma história que ainda fica para ser escrita, justificando as buscas recentes pelos direitos territoriais por parte dos grupos detentores dessa história. O exemplo da comunidade quilombola de Boa Vista que redescobre seu passado na hora da reivindicação do território coletivo ilustra a difícil e necessária tomada de consciência de uma memória silenciada durante séculos

Autor: JULIE A. CAVIGNAC

2013

Baixar